AJUDANDO A PLANEJAR ECONOMIAS PESSOAIS

Essa semana eu estive curtindo minhas boas férias (depois de quase dois anos direto sem descanso) e fiquei pensando como fazia tempo que eu não trazia nada para compartilhar aqui com vocês. Infelizmente estava com ZERO inspiração para escrever e fiquei umas boas horas olhando pra tela do computador e procrastinando, até que a Fê me deu uma ideia: “Por que você n fala sobre economizar e tals? Você costuma fazer essas coisas”. E aí veio a ideia hahaha. Então acho que sendo algo que me ajudou a sobreviver logo depois de arrumar meu primeiro emprego talvez seja legal eu compartilhar com vocês, meus amores, a arte de ser pão duro um bom poupador. 

Brincadeiras à parte, acho que nunca falamos de nada remotamente parecido com isso por aqui, e essa coisa de finanças pessoais nunca chamou minha atenção, até eu sair de casa e ter que sobreviver por conta própria no meu primeiro emprego, principalmente considerando que eu não tinha condições de bancar o padrão de vida que meus pais conseguiam para mim. Foi aí que eu comecei a ler a respeito e planejar melhor meus gastos, depois de analisar eles um pouco. Pensei então em trazer aqui para vocês algumas dicas que me ajudaram muito.

ANOTE SEUS GATOS

A primeira coisa que me ajudou antes de mais nada foi passar a ter o hábito de anotar meus gastos. Pode parecer meio paranoico, mas ter esse costume ajuda bastante a ver quando você gasta demais com besteiras que são muitas vezes desnecessárias ou podem ser deixadas para depois.
Normalmente eu uso o celular mesmo, que vem com um app de bloco de notas. É fácil de usar e bem discreto. Eu anoto a data da compra, a “conta” (vou explicar mais adiante), o valor e quaisquer observações que eu achar necessário.

DIVIDA SEU DINHEIRO EM "CONTAS"

Quando eu li o livro “Os segredos da mente milionária”, de T. Harv Eker, eu encontrei uma idéia que chamou minha atenção: a de “compartimentalizar” os seus gastos em contas específicas. Não, eu não uso mais de uma conta corrente, só divido o dinheiro que eu ganho em “grupos” de gastos e estipulo um valor máximo que eu devo gastar. Nem sempre é fácil estipular esses valores, eu meio que chutei eles de início e fui ajustando conforme ia analisando meus gastos.
Vocês podem separar o dinheiro da forma que acharem melhor (o livro traz algumas sugestões). Eu particularmente separo em grupos como: contas residenciais, lazer, compras, desenvolvimento pessoal, despesas de longo prazo (para gastos mais elevados e às vezes imprevisíveis, como manutenção do carro), aposentadoria, transporte e vales refeição e alimentação fornecidos pela minha empresa.
Pode parecer bastante coisa, e se realmente acharem, não precisam seguir isso. Eu recomendaria que utilizasse, NO MÍNIMO, duas categorias:
  • Gastos essenciais
  • Gastos não essenciais
Quais gastos encaixam em quais categorias fica a gosto do freguês.

POUPE PARA O FUTURO

Acho que é fundamental pensar no longo prazo. Desenvolvam o hábito de poupar sempre um pouco para o futuro, por menor que seja a quantia. Caso não consigam no momento, tudo bem (afinal, estamos na crise ainda, né!?), mas busquem pensar a respeito e buscar formas de renda alternativas para auxiliar nas despesas e poupanças.

ANALISE GASTOS, PLANEJE CORTES QUANDO NECESSÁRIO

Depois de tudo anotado, chega a hora de analisar. Independente de como separaram os gastos (conforme expliquei acima), vocês vão precisar fazer as seguintes perguntas:
  • Quais gastos são ESSENCIAIS?
  • Quais gastos eu NÃO PRECISO?
  • Quais gastos eu posso ADIAR?
A partir daí, vocês conseguem ver “padrões” nos gastos que não eram tão aparentes quando saíam gastando sem pensar. Para dar um exemplo bem besta, quando eu analisei meus gastos em um mês vi que gastava HORRORES tomando açaí (não me culpem, é bom demais hahahaha). Gastava muito mais do que precisava só porque batia “aquela vontade de tomar um açaí” quando eu ficava atoa. Aí percebi que podia simplesmente comprar UM QUILO de polpa de açaí no mercado por 20 reais (uma taça de açaí na rua sai tranquilamente por R$15,00), um ou dois cachos de banana e podia bater no liquidificador açaí o suficiente pro mês inteiro hahahahaha. Pode parecer uma coisa boba, mas meu gasto caiu dramaticamente, e sobrou mais dinheiro pra eu aproveitar outras coisas melhores.

DICA EXTRA: BRINQUEM COM SEUS DADOS

Só gostaria de dar uma dica aqui: se vocês já leram o livro “Mais rápido e Melhor” de Charles Duhigg (já revisei o livro aqui), o autor menciona a importância de se envolver com os dados para que possamos entender eles de verdade.
Se vocês querem ter um controle financeiro fácil, existem aplicativos de celular muito bons. Na verdade, depois que comecei a planejar isso, passei alguns meses usando o Guia Bolso, que já detectava automaticamente os meus gastos com cartão.
O problema é que, quando eu usava o celular para automatizar isso, dificilmente parava pra analisar o que estava fazendo. Se o orçamento batia, então beleza. Senão, “mês que ver eu me controlo mais”. Acabava que eu não parava para ver o que eu estava gastando e o que eu podia melhorar. Isso mudou completamente quando eu voltei pra minha boa e velha planilha do Excel. Quando eu coloco os valores sempre que chego em casa e analiso o quanto ainda posso gastar no mês, já busco automaticamente como otimizar meus gastos. E chegando no fim do mês, faço ainda alguns gráficos pra poder visualizar melhor os dados (sou meio nerd mesmo, não se assustem).
Talvez chegue o dia em que eu não vá precisar me envolver mais tanto assim com os dados. Até lá, prefiro fazer no modo manual mesmo pra eu conseguir ver onde posso melhorar.

E aí galera, o que acharam? Sei que não é o tipo de coisa que costumam ver por aqui, mas se pode ajudar no dia-a-dia e se é construtivo, acho que vale a pena compartilhar, talvez tenham pessoas por aí precisando ou alguém com uma ideia de melhoria. Falem aí nos comentários para a gente saber!

Jão

5 comentários

  1. Oi Jão. É sempre bom ficar de olho nas finanças, né? Eu já tive esse hábito de anotar todas as minhas despesas e é uma ótima maneira de controlar os gastos. Não sei porque parei de fazer isso, preciso retomar!

    ResponderExcluir
  2. Putz, eu preciso me organizar financeiramente
    eu sou das que deixa de gastar c uma coisa e passo a gastar com outra
    só transfiro as despesas :(

    Eu tenho uma planilha no excel tb mas lá só anoto as contas fixas do mês e o que for parcelado mas não incluo os gastos pequenos do dia a dia

    Ótimas dicas!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. adorei essas dicas! acho fundamental anotar para saber onde vc gastar e onde dá pra economizar, porque poupar e planejar para o futuro é mt necessario

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. João seus posts me ajudam muito! Eles me fazem dar uma refletida no quê estou fazendo da vida haha. Eu também tenho o costume de anotar os gastos, mas na área de poupar não sou nenhum exemplo, preciso me comprometer de verdade.

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Esse post caiu como uma luva pra mim, agora que estou morando com o noivo, planejando coisas pro apê, casar futuramente... e sinceramente, foi o MELHOR POST de planejamento que li, até agora. Já procurei por outros, mas nenhum chegava em mim como esse chegou, eu amei MUITO e já salvei nos favoritos pra mostrar pro Pedro! <3

    Anoto os meus gastos, faço planejamento, mas sinto que depois desse post as coisas vão melhorar, pois quase nunca consigo focar com meu objetivo quando se trata de planejamentos.

    Obrigada, obrigada por este post! *-*

    21invernos.blogspot.com/

    ResponderExcluir

TOPO