SUSTENTABILIDADE

DESENVOLVIMENTO PESSOAL

VIAGEM

BUSCANDO A FELICIDADE

Acho que talvez alguns de vocês estejam se perguntando o que vai acontecer com o blog depois que eu e a Fê nos separamos. Na vedade, acho que nós também. Mas esses dias tem sido dias de reflexão profunda e eu percebo que algumas coisas simples, como escrever aqui de vez em quando são coisas que me fazem bem. Pequenos detalhes que fazem a diferença, que nos conectam e nos marcam profundamente. Detalhes que nos fazem felizes. E aí vem a pergunta que mais grudou na minha cabeça: afinal de contas, o que é felicidade?

Lembro quando era criança e ia ao shopping com meus pais. Achava super legal pegar o carro e sair nas lojas, podendo comprar o que quiser quando der vontade (se eu soubesse naquela época que ser adulto está longe disso talvez não ficasse tão ansioso para crescer hahahahahaha). Achava que isso dava uma liberdade imensa, e por isso não conseguia esperar para poder ser adulto e ter a vida que eu sempre quis.

Depois disso, conforme ia crescendo, ser adolescente parecia ser a coisa mais legal do mundo. O pessoal mais velho parecia tão mais...adulto. Era como se eles fossem tão importantes. Aí a adolescencia chega e vem os altos e baixos da puberdade. Dúvidas sobre o futuro, sobre os amigos, sobre namoradas(os), sobre se a vida ainda vai ser assim quando eu crescesse. Aí vem aquela primeira olhada pra trás e o pensamento "eu era feliz e não sabia". Mas não dá pra voltar, e eu sabia que, com certeza, as coisas seriam melhores quando eu saísse de casa e fosse pra faculdade.

E a faculdade chega. Fui o último excedente da minha lista de chamada para a minha universidade. Entrei no meio do período, no meio de um monte de gente que já tinha começado a formar amizades e passado pelas famosas calouradas. A matéria tava acumulada e as provas viriam dali a algumas semanas. Mas eu sobrevivi. Fiz meus amigos, passei nas minhas provas, e suei muito durante seis duros anos lá. E sempre vindo à mente aquelas memórias da adolescência, quando minha pior preocupação era o que eu teria pra fazer de tarde. "Poxa, eu era feliz e não sabia". Pois é, mas já estava no final. E com certeza, com TODA a certeza, as coisas melhorariam quando eu me formasse e arrumasse um emprego. 

E veio a crise. Colegas se formando e ficando anos sem achar oportunidades me deixavam com um medo inevitável do futuro. Mas eu consegui meu estágio, primeiramente em uma área corporativa que não tinha nada a ver com a minha, mas consegui logo trocar para um na minha área e perto de minha família. Depois do estágio fui contratado, e com isso veio minha vida independente. E de novo, "eu era feliz e não sabia". Era tão mais fácil quando meu pior problema era a prova da semana que vem. As contas chegam e eu percebi uma coisa: meu emprego estava LONGE de ser o emprego dos meus sonhos. Mas se eu me empenhasse, se eu me dedicasse ao máximo e focasse em arrumar aquela vida que eu sempre quis, eu com certeza, com toda a certeza, conseguiria. E passei esse último ano buscando cursos (alguns, como programação, só de hobby mesmo), pensando em fazer pós, intercâmbios e processos trainees. Sempre pensando no futuro. Sempre deixando o presente passar. E sempre deixando de lado coisas (e principalmente pessoas) que fossem realmente importantes para mim.

E aí vocês me perguntam: "e o que tem a ver isso tudo com felicidade, Jão?". Bom, acho que pensando em tudo o que eu passei, e tudo o que já disse para vocês aqui no blog, a resposta era algo que eu já devia ter percebido: felicidade é o agora. Há alguns dias a Fê me disse uma coisa muito importante. "Eu não estou feliz, eu sou feliz". Felicidade não é um presente que a gente se dá no futuro. É um estado que sentimos agora. É ver o nascer do sol, é dizer "eu te amo", é ligar para os pais depois de algum tempo sem se falar. Felicidade é algo que somos. Claro que muitas vezes nos encontramos em um estado infeliz no momento, mas momentos são, por definição, passageiros. E cabe a nós garantir que os próximos sejam felizes. 

Felicidade é saber entender o que queremos de nosso futuro, é pensar lá na frente e traçar nossas metas mas seguir, acima de tudo, apreciando cada passo ao longo do caminho. É viver cada dia que passa, não cada dia que está por vir. Talvez o futuro ideal nunca chegue. Mas se você aprender a ser feliz no presente, talvez o futuro seja muito melhor. Cabe a vocês decidirem.

Para todos aqueles que ainda estão aqui nessa leitura, convido a assistirem o seguinte vídeo do professo Clóvis de Barros: Felicidade é aqui e agora. Talvez ele ilustre um pouco melhor o que quero dizer.

Então pessoal, o que acharam? Querem continuar ouvindo um pouco mais de nós? Digam aí o que acham!

Jão

5 comentários

  1. mt legal esse post! mts vezes buscamos a felicidade sem saber direito oq buscar, cada um tem que correr atras dos seus objetivos pra ser feliz

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post! Com certeza, felicidade é o que sentimos hoje. :)

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  3. Amei o texto e por favor não sumam daqui. Eu particularmente demorei para entender isso, mas é a vida né? A gente vai aprendendo as coisas com o tempo e amadurecimento. As vezes fico preocupada demais com o futuro, mas tenho tentado manter minhas forças aqui, no que posso controlar. Afinal, é no presente que a gente vive. Beijos

    Charme-se

    ResponderExcluir
  4. Oi Jão, a gente tem essa mania que ficar jogando a felicidade "pra frente", né? De nunca encará-la como o aqui e o agora. Bonito demais o seu texto. E claro que queremos continuar ouvindo vocês, espero que esteja tudo bem e que vocês não "sumam" aqui do blog. Beijo, beijo :*

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto muito de visitar aqui e ler os textos.
    Eu concordo que ser feliz é algo importante e os momentos tristes passam logo.

    ResponderExcluir

TOPO