BUSCANDO O AUTOCONHECIMENTO

Olá meus queridos e queridas, Jão falando aqui e hoje eu venho trazer para vocês uma experiência muito legal que eu tive a oportunidade de vivenciar há algumas semanas. Se trata de um curso que eu super recomendo a todos que estiverem buscando se desenvolver mais, pois acredito que ele nos ajude a dar o primeiro passo em direção à nossa melhoria: o curso de Autoconhecimento do Na Prática.

Alguém aqui consegue dizer que realmente se conhece bem? Eu sei que quando fui fazer o curso eu não conhecia. Na verdade, ainda não sei dizer se me conheço totalmente, principalmente porque estou numa fase de muitas mudanças que me fazem refletir muito sobre minhas ações. Mas se tem uma coisa que aprendi, é que o autoconhecimento é um processo contínuo. Podemos examinar nosso passado e tirarmos algumas conclusões, mas o futuro sempre será uma incógnita. E isso pode ser muito bom!

Esse vai ser o primeiro post de uma série que pretendo fazer sobre alguns tópicos que realmente chamaram minha atenção. Fiquem à vontade para fazer perguntas e sugestões, a interação sempre é bem-vinda =). Mas sem mais demoras, aqui vão algumas dicas para quem quiser conhecer um pouco mais sobre si mesmo.

Reviva suas memórias marcantes

Nossas memórias dizem muito a nosso respeito, e relembrar elas podem revelar coisas que nós mesmos nunca percebemos.

Quais são os momentos de suas vidas que vocês se lembram mais vividamente? Ou ainda, qual é a primeira memória que vocês têm? Uma dica para facilitar aqui é criar uma linha do tempo pessoal. Tentem pensar em cada ano de suas vidas quais foram os fatos mais marcantes. Não é preciso parar para analisar nada aqui ainda, é só listar mesmo.

Depois de listado vem a hora da reflexão. Dessas memórias, quais são as, de fato, mais marcantes? Pensem nelas, examinem suas sensações e revivam cada momento da forma mais vívida possível. Marquem todas essas memórias que vocês têm, tanto na vida pessoal quanto profissional e reflitam: existe algum padrão de comportamento nessas memórias?

Pode parecer uma coisa boba, mas muitas vezes nós percebemos coisas que nos atraem e repelem e que nunca paramos para prestar atenção. Uma experiência particularmente confusa que eu tive aqui foi o fato de eu ter percebido que adoro viajar para conhecer lugares novos, mas sempre tive vergonha de conhecer novas pessoas. Imaginem como foi conflitante para mim meu primeiro dia de faculdade, por exemplo. Um lugar totalmente novo e que eu achei maravilhoso (alguém daqui já conheceu Viçosa? Hahahah), mas ao mesmo tempo me deixou muito inseguro ao chegar no meio de tanta gente nova que mal se conhecia. Mas isso faz parte, e ter conhecimento do que me atrai e repele me ajuda a focar no importante e buscar formas de contornar minhas fraquezas quando preciso. E acho que isso é uma grande vantagem de conhecer a si mesmo. Então reflitam sobre essas experiências e pensem: o que os padrões em suas memórias revelam sobre vocês mesmos?

Identifique as personagens relevantes

Agora que já pensaram em situações marcantes, reflitam sobre os personagens presentes nesses momentos. Pode ser mãe, pai, irmãos, amigos, colegas, talvez até estranhos ou mesmo uma instituição.

Qual foi a influência desses personagens na sua própria personalidade? Acho que o caso mais fácil de visualizar aqui é o dos pais. Nossos pais nos guiam desde nossos primeiros momentos, e seria ingenuidade achar que eles não são responsáveis, ao menos em parte, por moldar nossa personalidade.

Mas os exemplos podem ir além disso. Que outros parentes, conhecidos ou mesmo estranhos ficaram marcados em suas memórias e por que? Foi por causa de uma atitude que vocês concordaram? Uma que discordaram? Essa personagem é um exemplo ou anti-exemplo? Na verdade, acho que até um certo ponto isso pode ser um pouco subjetivo. Um exemplo que leva alguém a tomar uma certa atitude pode levar outra pessoa a fazer o oposto. Sempre que penso a respeito disso me vem à mente um caso que li no livro “Desperte o Gigante Interior” de Tonny Robbins. Ele conta a história de dois irmãos, filhos de um pai abusivo. Um irmão se tornou tão abusivo quanto o pai, enquanto o outro seguiu uma vida e carreira de sucessos. Quando perguntados sobre como chegaram àquele ponto em suas vidas, ambos responderam: “Como poderia ser diferente, com um pai daqueles?”. De qualquer forma, cabe aqui uma reflexão sobre a influência de cada personagem, e se ela levou vocês a um caminho que vocês concordem.

Interajam!

Falando desse jeito, até parece que autoconhecimento se trata só de introspecção isolada. Vamos nos fechar em um casulo e pensar sobre toda nossa vida.

Nada disso.

Muitas vezes, coisas que não são evidentes a nós mesmos são extremamente óbvias a outras pessoas. Então nada mais justo do que perguntar a elas suas opiniões, certo?

Tentem perguntar a pais, amigos, namorados(as) ou quaisquer pessoas que convivam com vocês, tanto em ambientes de trabalho quanto pessoal. O que elas têm a dizer sobre você? Qual a primeira coisa que vêm à mente delas quando pensam em vocês? O que elas veem como seus pontos fracos e fortes? De todas essas coisas, o que vocês ouviram que já sabiam e o que não sabiam?

Ter a coragem de tentar entender como somos enxergados não é fácil. E é mais difícil ainda aceitar as críticas. Mas nos abrirmos a isso tudo pode ser uma experiência transformadora. É um ponto em que nos mostramos vulneráveis e abertos. O importante aqui é entender que essa vulnerabilidade não é fraqueza, mas algo a ser aceito (quem tiver interesse, a Fê falou aqui sobre um livro que trata muito bem essa temática).

Ao final disso tudo, como vocês enxergam a si mesmos? Da mesma forma de antes? Quase igual, mas com um diferencial a mais? Totalmente diferente? Se vocês precisassem contar toda sua história em um minuto, vocês conseguiriam?

Todos nós temos algum grau de autoconhecimento dentro de nós. O que importa é o quanto estamos interessados em aprofundar isso e entendermos que o processo é contínuo. Estamos sempre vivenciando novas experiências, interagindo com novas personagens, influenciando e sendo influenciados. Por isso, um pouco de reflexão ao longo do caminho pode fazer toda a diferença.




E aí pessoal, o que acharam? Postem aí nos comentários suas experiências, em breve passo aqui com mais um post relacionado ao tema. E fica a dica: a Fundação Estudar está sempre abrindo vagas para as turmas de Autoconhecimento em diversas cidades, e eles até possuem um módulo online. Eu pessoalmente recomendo o módulo presencial, por causa de toda a interação e troca de experiências, mas é sempre bom usar todas as ferramentas que temos ao nosso alcance. Então fico por aqui, até a próxima!


o

7 comentários

  1. OOOOOOOI

    eu sou bem fascinada por esse lance de autoconhecimento. Muito embora, acho que não dei nem dois passos nessa longa caminhada da vida.
    Acho que me conheço bem em alguns aspectos. EM outros: nadinha. Mas acho que o legal de ser humano é ser mesmo essa caixa de surpresas. Reconhecer algo novo em si todos os dias.
    Gostaria bastantão de fazer esse curso. Adoro a temática e o método parece bem eficaz dentro da proposta!

    beijo
    www.beinghellz.com.br

    ResponderExcluir
  2. super bacana seu post, essaa busca do autoconhecimento é sempre mt importante, gostei mt do seu post cheio de boas dicas

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. olá
    adorei o post
    achei bem relevante.
    Sou assim como você, adoro conhecer lugares novos, mas me fecho ao conhecer uma pessoa. hehehe
    beijão
    Karina Pinheiro

    ResponderExcluir
  4. Gostei bastante desse post e das dicas!
    Acho que ninguém se conheçe 100%, a gente sempre se surpreende com a gente mesmo em diversas situações da vida né?
    Isso de ouvir nossos pontos positivos e negativos de pessoas próximas á nós é algo muito bom, ás vezes é duro, mas é interessante ver o que transmitimos aos outros e melhorar.

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Acho que realmente precisamos de autoconhecimento pra principalmente, viver melhor. Tenho gostado bastante das dicas que vocês postam. Tenha um ótimo dia, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

TOPO